Pandemia: Como lidar com o que não podemos controlar

COMO PASSAR ESSE DESAFIO COM A PANDEMIA.

Levanta cedo, toma café, leva os filhos pra escola, trabalha, trânsito. Enfim, rotina. E de repente tudo muda.  A notícia é Covid-19, vírus que veio da China, e causou a morte de milhares de pessoas, situação que sai totalmente do nosso controle; nos roubando a opção de aceitar ou não passar por isso.

Está aqui e é de fato, mas como podemos manter o equilíbrio emocional em um momento como esse?

Posição

A palavra de ordem é: Cautela

omo manter a cabeça saudável?

Já são tantas dores emocionais para lidar no dia a dia, que segurar mais esta é um grande peso.


Falo com todo respeito a cada um de vocês.

Não precisa ser super heróis; estamos sim vulneráveis, apenas precisamos passar por mais um desafio, um desafio agora que não é apenas de um, mas de todos e ao mesmo tempo. Passar esse desafio com o máximo de equilíbrio emocional que conseguir e se porventura for contagiado, superá-lo sem maiores sequelas.

Para isso é necessário compreender mais um pouco. Assim trago 3 exercícios para ajudá-los a entender o que é energia do medo, sair e deixar a energia do amor transformar esse momento, e todos os momentos em que necessitar.

Acesse o vídeo, você vai ter compreensão e entendimento, passo a passo, de cada meditação.

Se estiver em pânico mesmo depois desse exercício, pode falar comigo, envie um e-mail contanto sua situação e deixe seu WhatsApp, para que eu possa responder e lhe indicar um floral para ajudá-lo nessa transição.

Agradeço a todos!

RECITE:  – Terra amada, assumo minha parcela de responsabilidade ao que acontece aqui.

– Eu sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata(o).

FIQUEM COM DEUS!

Espalhe a todos, esse texto, assim podemos ajudar muito mais.

Selma Flavio – CNT-SP 0879 – Terapeuta / Constelação Familiar e Desenvolvimento Pessoal
Cursos – Workshop – Palestras – Desenvolvimento Pessoal

Contato direto:
Rede Social – TerapiaDesenvolvimentoPessoal
Através do formulário abaixo ou pelo WhastApp 11 97387314WhastApp pelo seu computador

Tara, Kuan Yin, a deusa dos lótus


A Deusa Lótus existia na Índia muito antes da invasão dos arianos.

Quando a substância da vida divina está prestes a apresentar o universo, as águas cósmicas crescem um lótus de mil pétalas de ouro puro, tão radiante quanto o sol.

Este é o útero do universo, o órgão gerador das águas – o aspecto feminino, materno e procriador do Absoluto.

O lótus é personificado como a Deusa Mãe através da qual o Absoluto se move para a criação.

Ela está de pé sobre um lótus, que é o seu ‘veículo’. Na arte ariana, ela é removida de seu lótus e o deus masculino Brahma está sentado em seu lugar.

O onipresente lótus é um sinal de sua presença mesmo quando suas feições humanas não aparecem, e não raramente as divindades masculinas até copiam suas poses tradicionais … com o tempo, o lótus se separa da deusa Lótus na arte e consigna a outros poderes.

Talvez a mais surpreendente das novas atribuições seja a de Prajna-Paramita, a mais alta personificação feminina do budismo Mahayana.

A sabedoria (prajna) que leva ao Nirvana é a maior virtude (paramita): é a própria essência dos Budas, os totalmente iluminados, e os Budas em formação, os Bohdisattvas, devem levá-lo à perfeição.

O antigo padrão da Deusa Lótus sofreu uma transformação radical de significado.

A Mãe Terra tornou-se a rainha do reino espiritual alcançada através da iluminação (bodhi), representando a extinção (nirvana) tanto da consciência individualizada quanto da variedade cósmica do ser biológico, humano e divino.

Ela representa o término do prazer nas existências terrenas ou até celestiais, a extinção de todo desejo por duração individual; ela é a natureza secreta, adamantina e indestrutível de tudo e de todos, ela mesma desprovida de todas as características limitantes e diferenciadoras.

O lótus expressa a ideia de que somos todos virtualmente budas,

Existem várias manifestações da deusa de lótus nas tradições orientais.

A deusa de lótus Tara é a deusa protetora do Tibete. Diz-se que ela nasceu de uma lágrima derramada por Avalokita com pena do sofrimento dos seres sencientes.

Existem 21 formas de Tara, as duas principais formas de realização conhecidas como a Tara Verde e a Tara Branca.

Eles são muito parecidos, exceto que, de seu assento sobre um disco lunar apoiado por um lótus gigante, a Tara Verde estende um pé como se estivesse prestes a se levantar da meditação, enquanto a Tara Branca fica em postura de meditação.

Ela é ainda mais diferenciada por ter um “olho de sabedoria” visível no centro de sua testa, bem como olhos fixos nas palmas de cada mão.

Em ambas as formas, a cabeça é charmosamente inclinada, o corpo um pouco arqueado, de modo que o ombro esquerdo é perceptivelmente mais alto que o direito; uma mão, segura junto ao coração, forma o mudra de proteção e a outra, repousando levemente sobre o joelho, forma o gesto de doação de presentes.

 

Uma lótus de haste longa sobe da dobra do braço esquerdo.

Enfeites pesados ​​de ouro adornam o cabelo, a garganta, os pulsos e os tornozelos de grandes dimensões; as roupas finas – sedas brilhantes e esvoaçantes esvoaçando dos ombros e uma série de saias de seda muito coloridas – deixam o torso esguio e os seios suavemente arredondados, descobertos à maneira da antiga índia.

O efeito todo é tão arrebatador que ela poderia despertar a paixão que ela é frequentemente invocada para acalmar, não fosse ela inspirar uma espécie de reverência exaltada … ela está imbuída do poder de vencer a luxúria tão facilmente quanto a tristeza.

Embora docemente digna quando invocada durante a meditação, a natureza de Tara é tão divertida e maliciosa quanto a de qualquer uma das garotas de dezesseis anos que ela tanto lembra.

No Budismo Tibetano, formas personificadas (como Tara) são consideradas representações de possíveis aspectos da própria natureza interna – e não como entidades estritamente separadas.

A meditação sobre várias “divindades” e outras imagens tem um profundo efeito no próprio ser interior.

Cada imagem visualizada serve como um arquétipo, evocando respostas em um nível muito sutil de consciência, auxiliando assim no delicado trabalho de transformação interior.

Na China, ela é conhecida como Kuan Shi Yin – “Ela-Quem-Hearkens-para-os-Gritos-do-Mundo” – e é a deusa chinesa do amor e da compaixão.

Kuan Yin é único entre a hierarquia celestial em ser totalmente livre de orgulho ou vingança, e está relutante em punir mesmo aqueles a quem uma lição severa seria salutar.

Ela retrata a compaixão e seus poderes libertadores.

Rochas, salgueiros, poças de lótus ou água corrente são frequentemente indicações da presença de Kuan Yin. O mantra de Kuan Yin e Avalokita é “Om Mani Padme Hum”.

No Japão, Tara é conhecida como Kwannon.

O apelo de Kuan Yin é que ela responde às necessidades sinceras das pessoas comuns.

Ela não comunica nenhuma grande novidade filosófica, nem leva o iniciado a mistérios profundos de meditação.

Ela é acessível para os mais comuns e os mais humildes. Ela é a amiga que você invoca em tempos difíceis.

Ela é a mão que guia.

Ela compreende o anseio por filhos, o medo da dor, a angústia de uma criança perdida ou de um pai solitário.

Ela é familiar e ela é da família.

É nisso que reside a força de Kuan Yin – e tudo isso se baseia em seu atributo básico de compaixão, derivado, como sempre, do Sutra de Lótus ”.

 

Adaptado de ” Os Mitos e Símbolos da Arte Indiana” por Heinrich Zimmer – editado por Joseph Campbell e de “Kuan Yin” por Martin Palmer e Jay Ramsay com Man-Ho Kwok

Originalmente publicado na revista Here & Now , Byron Bay.

 

Fonte byronbodyandsoul


 

Se deseja informações sobre os trabalhos terapêuticos, entre em contato preenchendo o formulário abaixo.

OS CHAKRAS E DOENÇAS


O termo vem do Sânscrito e significa “RODA”, devido à forma que cada um desses centros energéticos apresenta. São semelhantes à flor-de-lótus, cujas hastes se enraízam na coluna vertebral.

Os Chakras são localizados no corpo astral e se estendem para fora do corpo físico, situados na mesma região dos Plexos (emaranhado de nervos ou regiões do corpo físico onde se concentram ou se entrelaçam vários nervos). Sua finalidade é catalizar energias vitais que passam para os plexos orgânicos, sendo conduzidas para todo o organismo através do sistema nervoso. Segundo a região do corpo e, que se localiza, o Chakra tem capacidade de maior absorção de uma determinada medida de cada energia correspondente a uma cor, que é conduzida para o organismo através dos meridianos. Essa energia percorre o caminho em ondulações e não em linha reta como as ondas de luz. Seu movimento dá-se no sentido horário e a média de rotação, bem como seu tamanho, depende do grau de evolução da pessoa. Quanto mais lentos os movimentos, menor o fluxo, mais densa a massa e menor a espiritualidade do ser. O tamanho dos Chakras no ser humano normal é de um diâmetro aproximado de cinco a seis centímetros, e nas pessoas mais desenvolvidas atinge até dez centímetros.

Qualquer disfunção nos Chakras afeta as glândulas correspondentes. Este distúrbio ocorre pala alteração na rotação do Chakra em desequilíbrio, que passa a girar no sentido anti-horário. Além de não captar energia para aquela região, a corrente energética flui para fora do corpo, pelo próprio Chakra. Desse modo, interfere no metabolismo dos órgãos relacionados a ele. A meditação, em particular, é uma das formas de desenvolvimento e equilíbrio desses centros de força. A utilização de luzes coloridas, de pedras, ou a força psíquica em forma de cor, dirigida aos respectivos Chakras, facilita o processo de abertura, reforçando-os, expandindo-os e desenvolvendo-os.

 

Muitos são os Chakras do corpo. Segundo alguns textos hindus, existem mais de dez mil Chakras espalhados pelo nosso corpo, mas os principais são sete:

 

1 – Chakra Básico Sua cor, o Vermelho, atua nos órgãos do aparelho genital, urinário, reprodutor, útero e próstata, etc. Nessa região, tratam-se as doenças do sangue, fígado, bexiga, inflamações e qualquer espécie de hemorragia, como também qualquer anomalia dos órgãos relacionados. Tem a função de captar e distribuir a força primária para todo o organismo e absorve a energia da Kundalini, que serve para reativar os demais Chakras. Essa energia sobe pela coluna, alimentando-a. Sua potência física combina com a vontade de viver, dá ao indivíduo uma presença de força e vitalidade e se encontra bem fundamentada na realidade física. Faz com que a forte vontade de viver ative os demais Chakras e a pessoas ao redor, recarregando-lhes o sistema de energia.

Resultado de imagem para chakras foto

2 – Chakra Sexual É o Chakra responsável pelo estímulo sexual, desperta o desejo do ato sexual, proporcionando orgasmos tão intensos que as pessoas, com este Chakra desenvolvido, tendem a direcionar sua vida através da relação sexual. Quando ocorrem bloqueios ou desequilíbrios, podem aparecer: problemas de coluna, hemorroidas, instabilidade social e emocional, uso incorreto da vontade, o sentir-se impotente diante das situações, insegurança, desespero, medo e falta de praticidade. Além de preocupações excessivas com as coisas da matéria, ganância, descontrole dos aspectos instintivos e sexuais. Seu desequilíbrio pode manifestar-se por impotência sexual e frigidez.

 

3 – Chakra Esplênico Sua cor, o Laranja, atua diretamente no baço, rins, fígado, pâncreas e supra-renais, é importantíssimo para a secreção das glândulas e órgãos endócrinos. Responsável pela vitalidade dos nervos. Através desse Chakra, tratam-se, as doenças da bexiga, a menstruação, as cólicas, colite, febre, diarreia, anemia, diabete, câncer, etc. Sua energia flui pelo revestimento medular dos nervos (não pelas fibras) e é distribuída para todas as partes do corpo. O excesso de energia absorvida pelo Esplênico, que não for usada pelo organismo, é expelido pelos poros em forma de emanação energética. Quanto maior sua absorção, mais poderoso o magnetismo pessoal, muito utilizado nos trabalhos de cura. Os bloqueios desse Chakra são geralmente causados por problemas emocionais, dificuldade em dar e receber e intensidade de prazer ou dor, manifestando histeria e vícios;excesso de preocupação com o futuro, com o bem-estar dos outros e com a preservação. Medos e ressentimentos sobre o sexo, causando experiências sexuais traumáticas ou dificuldades no parto. Pode ocorrer uma falta generalizada de vitalidade, perda de juventude e diminuição do magnetismo pessoal. O desequilíbrio do Chakra Esplênico afeta o sistema digestivo inferior, podendo causar alterações das substâncias químicas nos intestinos e no estômago, causando úlcera e até câncer. As glândulas de secreção interna (ovários, testículos, pâncreas, rins, tireoides e pituitária), deixam de expelir sua secreção para a corrente sanguínea, causando disfunção orgânica e doença.

 

4 – Chakra Solar Sua cor, o Amarelo, atua no estômago, intestino, e a todos os órgãos do aparelho digestivo, afeta o sistema nervoso e simpático. Tratam-se, através desse Chakra, doenças dos ossos, paralisia, gota, dores de cabeça, etc. Influi nas emoções e através dele percebemos as emanações hostis ou vibrações afetivas do ambiente. Ligado às emoções de poder pessoal, criatividade e auto-expressão. É considerado mental e o vínculo da mente com as emoções pode ser constatado, porque os processos mentais servem de reguladores da vida emocional. Possui grande importância nas relações humana. Seu desequilíbrio provoca timidez, egoísmo, narcisismo, egocentrismo vários tipos de medos, que geram propensão para a raiva e violência;na dificuldade de expressar a autoconfiança e criatividade, incapacidade de se colocar em sintonia com as pessoas, locais e carência de auto-estima.

Chakras

5 – Chakra Cardíaco Sua cor, o Verde e o Rosa, exerce influência na circulação sanguínea. Alimenta o coração, sangue, nervos e vasos sanguíneos, é responsável pelo funcionamento adequado do sistema imunológico e relaciona-se ao timo. Regula as emoções e os sentimentos, tais como simpatia, ternura, compreensão e compaixão. É a sede do eu superior onde se assenta a alma humana. Controla a integração de nossas forças superiores e inferiores, equilibra a auto-estima e a capacidade de dar e receber amor. Quanto maior e mais aberto esse Chakra estiver, maior a capacidade de amar a si e aos outros. Tem capacidade de transformar as energias do cosmo em energia de cura física. A harmonia deste Chakra acentua as atividades positivas, no tocante a realização de coisas da vida, e faz ver as outras pessoas como sustentáculos, destacando a perfeita harmonia entre as vontades humanas e as leis divinas. Traumas ligados a relacionamentos afetivos afetam diretamente a região cardíaca, provocando o desequilíbrio neste Chakra. Quando ocorrem bloqueios, o potencial do amor e compaixão transforma-se em luxúria; a auto-estima é prejudicada e a vontade individual enfraquecida, gerando a falta de criatividade e tornando as pessoas excessivamente sensíveis às influências e opiniões. Há problemas de relacionamento com o mundo exterior, sensação de falta de intercâmbio amoroso e um angustiante vazio dentro do peito.

 

6 – Chakra Laríngeo Sua cor, o Azul, é diretamente ligado à tireoide, cordas vocais, vias respiratórias, traqueia, brônquios e pulmão. Controla a expressão verbal, influindo também sobre o sistema auditivo. Responsável pelo rejuvenescimento e longevidade. A característica desse Chakra é o sucesso; sai expansão proporciona satisfação no trabalho e nas tarefas da vida das pessoas, mantendo-as bem ajustadas e conseqüentemente bem-sucedidas. Quando existe bloqueio, esta causa incertezas, indecisões, dúvidas e desânimo, afetando a auto-expressão e a prosperidade. O desequilíbrio em torno da voz, gagueira, vertigens, fadiga, asma, doenças metabólicas, obesidade, etc., são algumas das conseqüências que surgem.

 

 

7 – Chakra Frontal Sua cor, o Índigo e a Violeta, alimenta a parte inferior do cérebro, olho esquerdo, ouvido, nariz e o sistema nervosa parassimpático. Regula as atividades inteligentes, é o ponto de abertura da visão interior, espiritual e inspiração. Associado à implementação de idéias criativas. Seu desequilíbrio provoca desinteresse pelo presente e medo do futuro, fazendo com que se manifestem idéias e conceitos mentais confus

os e geralmente negativos, que podem criar obsessão mental ou perturbação psíquica. Há ainda memória fraca, dando a sensação de estar no “espaço”, problemas de sono, sonhos perturbadores e alucinações.

 

8 – Chakra Coronário Sua cor, a Violeta e o Branco, ligado à glândula pineal e ao córtex cerebral, alimenta o cérebro superior e o olho direito. O Chakra Coronário é responsável pela maior captação de energia cósmica, bem como por estabelecer contato com as esferas superiores do Universo. Está associado à conexão da pessoa com a sua espiritualidade e à integração de todo o seu ser físico, mental e espiritual. Vai além do mundo físico e cria no indivíduo um sentido de totalidade. A energia do prana, captada por esse Chakra, alimenta os demais centros de força e auxilia na meditação, suprindo-nos de vida cósmica. Seu desequilíbrio nos deixa fora de sintonia com a espiritualidade, provocando depressão por não encontrarmos significado na vida. Faz nos sentirmos separados de todo e desconectados da unidade. Devido ao seu desequilíbrio, a pessoa nã

o estabelecerá o intercâmbio com a espiritualidade, perdendo com isso a oportunidade de crescer e evoluir nesta existência.

Simboliza a sabedoria intelectual dos governantes. Tornou-se hábito a utilização da coroa na cabeça dos governantes, representando o desenvolvimento desse Chakra.

Dos demais Chakras, convém menciona a função de outros quatro:

Chakra dos Pés – Localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar a energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico, como também absorve a energia da Kundalini que vem da terra e a energia magnética.

Chakra dos Joelhos – Atua como um transformador, regulando a quantidade de corrente que deve entrar no corpo.

Chakra das Mãos – Absorve as ondas radiativas, como também transmite energia, o que explica a cura pela imposição das mãos.

Chakra Umeral – Localizado nas costas, sobre a parte superior do pulmão esquerdo. Além de também exercer influência nos pulmões, é responsável pela relação mediúnica entre o plano espiritual e o físico. Localizado nas costas, sobre a parte superior do pulmão esquerdo. Além de também exercer influência nos pulmões, é responsável pela relação mediúnica entre o plano espiritual e o físico.Obrigatório citar o site e os autores:

Resultado de imagem para chakras pés maos

Referência: Livro Mãos de Luz

Fonte consciencial.org

Imagens Google

 

 

 

 

Entrar em Profundidade no Corpo


 

Para entrar ainda com maior profundidade no corpo, experimente a seguinte meditação. Devem bastar entre dez a quinze minutos de tempo de relógio.

Primeiro certifique-se de que não há distrações externas, tais como telefones ou pessoas que possam interrompê-lo. Sente-se numa cadeira, mas sem se recostar. Mantenha a coluna ereta. Fazê-lo vai ajudar você a manter-se alerta. Em alternativa, escolha a sua posição preferida para meditação.

Certifique-se de que o corpo está relaxado. Cerre os olhos. Respire profundamente algumas vezes. Sinta-se a respirar, por assim dizer, para o abdômen inferior. Observe como ele se expande e se contrai ligeiramente a cada inspiração e expiração.

De seguida, tome consciência de todo o campo energético interior do corpo. Não pense nele: sinta-o. Ao fazê-lo, você retira consciência à mente. Se considerar que o ajuda, recorra à visualização da «luz» que acabei de descrever.

Quando sentir nitidamente o corpo interior como o único campo energético, abandone, se possível, qualquer imagem visual e concentre-se somente na sensação. Se conseguir, ponha também de lado qualquer imagem mental que porventura ainda tenha do corpo físico. Nessa altura, tudo o que resta é uma sensação de presença ou «existência» que abrange tudo, para além de sentir que o corpo interior não possui fronteiras.

Depois, dirija a sua atenção ainda com mais profundidade para o interior dessa sensação. Torne-se um só com ela. Funda-se com o campo de energia, para que deixe de existir uma dualidade visível entre observador e observado, entre você e o seu corpo. A distinção entre interior e exterior também se desfaz agora, por isso deixa de haver corpo interior. Ao entrar com profundidade no corpo, você transcendeu-o.

Fique neste mundo de Ser puro enquanto for confortável para si. Depois torne-se outra vez consciente do corpo físico, da sua respiração, dos sentidos físicos e abra os olhos. Observe o ambiente que o rodeia durante alguns minutos de forma meditativa (ou seja, sem o rotular mentalmente) e continue a sentir o corpo interior enquanto o faz.

Eckhart Tolle


imagem cortesia pixabay raiPR

 

Construa e medite na sua JAPAMALA / FILTRO DOS SONHOS

Preparar a própria Japamala, é a forma de integração total com o Cosmo, mantrar sobre pedras escolhidas, preparadas e consagradas por você.
 
Japamala é um rosário muito utilizado como marcador nas mantras. Com ele, a repetição de um mantra torna-se mais suave, leve e sem interrupções. Afinal, a preocupação com a Contagem fica em suas mãos: são tradicionalmente 108 54 ou 27 contas que giram em torno de uma Conta maior, a representante da divindade evocada. Ao entoar mantras sempre com seu Japamala, você agrega energia espiritual nele, o que o torna um objeto sagrado que protege quem o usa. “Muitos adeptos utilizam o cordão no pescoço,ou nos pulsos como Pulseira pois nele já está contida a energia da devoção depositada”
 
Nesse curso todo o material está incluso. 
Contribuição 80,00
Dia 8 / Julho/2017
Informações 11 973873144 – É NECESSÁRIO A INSCRIÇÃO
 
Local: VILA PRUDENTE – SP – 10 min do metrô
CONFIRA O EVENTO NO FACEBOOK

 


JUL8
Sáb 9:00
São Paulo

 

JUL8
Sáb 14:00
São Paulo

 


SUS vai oferecer ioga, meditação e outras 12 terapias


Ministério da Saúde publicou portaria incluindo 14 atividades que vão compor a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares

Fonte exame.abril

 


 

O PAI NOSSO, em Aramaico – A oração que o Jesus nos deixou


O PAI NOSSO

do original em aramaico

Ó Fonte da Manifestação! Alento da vida!

Pai-Mãe do Cosmo!

Faze Tua Luz brilhar dentro de nós,

para que possamos torná-la útil.

Ajuda-nos a seguir nosso caminho

movidos apenas pelo sentimento que emana de Ti.

Que nosso eu possa estar em sintonia contigo,

para que caminhemos com realeza com todos

os outros seres criados.

Estabelece Teu Reino de unidade agora.

Que Teu desejo e os nossos sejam um só,

em toda a luz, assim como em todas as formas.

Dá-nos o que precisamos cada dia, em pão e compreensão.

Desfaz os laços dos erros que nos prendem,

assim como nós soltamos as amarras que mantemos da culpa dos outros.

Não permita que a superficialidade e a aparência das coisas do mundo nos iludam.

Mas liberta-nos de tudo que nos aprisiona.

E não nos deixe sermos tomados pelo esquecimento

de que de ti nasce a vontade que tudo governa,

o poder e a força viva de todo movimento,

e a melodia que tudo embeleza

e de idade em idade tudo renova.

Amém.

O PAI NOSSO

em aramaico transliterado

Abwun d’bwashmaya

Nethqadash shmakh

Teytey malkuthakh

Nehwey tzevyanach aykanna d’bwashmaya aph b’arha

Hawylan lachma d’sunqanan yaomana.

Washboqlan khaubayn (wakhtahayn) aykana daph khnan shbwoqan l’khayyabayn.

Wela tahlan l’nesyuna

Ela patzan min bisha.

Metol kilakhie malkutha wahayla wateshbukta

L’ahlam almin.

Ameyn.

 

Em sua versão em aramaico, a oração do Senhor tem a força de uma invocação.

O que está sendo invocado é a Fonte da Manifestação, que é também o Alento da Vida. Ainda que seja referido como o Pai-Mãe do Cosmo, as duas polaridades de todos agentes criadores, nossos geradores celestiais não são referidos como os criadores do cosmo, mas sim como a Fonte da Manifestação. O mundo em que vivemos, nos movemos e temos nosso ser não é uma ‘criação’ divina, no sentido de estar separado de seu criador, mas sim é uma manifestação, portanto, uma extensão ou um reflexo de sua fonte divina original. Tudo o que existe é uma extensão ou expressão de Deus; o Pai-Mãe celestial é imanente em todos os seres, é o sopro da vida que permanece em todos nós.

A natureza imanente do divino genitor é geralmente referida como um cerne de luz em todos os seres, ainda que na grande maioria essa luz permaneça latente. O devoto invoca ao Pai/Mãe celestial para que faça brilhar a luz divina em seu interior. O brilho da luz interior, geralmente conhecido como iluminação, ocorre quando o Cristo interior muito apropriadamente vem à luz. Somente quando a luz de Cristo está atuando conscientemente em nós, é que nos tornamos verdadeiramente útil ao mundo, promovendo a paz, iluminando e amando incondicionalmente a todos os seres.

O sentimento que emana do Pai-Mãe celestial é o amor, a energia divina que harmoniza toda natureza bem como a vida dos membros da família humana, guiando-os em segurança pelo caminho de retorno à Casa do Pai-Mãe. Quando alcançamos a sintonia como nosso divino genitor, fruto do nascimento de Cristo em nós, sabemos por experiência própria que ‘eu e o Pai-Mãe somos um.’ Uma vez conscientes de nossa natureza divina, iremos naturalmente caminhar com realeza com todos os outros seres, fazendo o bem sem olhar a quem, servindo de apoio e indicando o rumo a todos nossos companheiros de jornada neste mundo que ainda não despertaram para a realidade.

A unidade do Reino sempre existiu no plano espiritual. Somente no plano material vivemos na ilusão da separatividade, até que nossa visão espiritual seja desperta com o nascimento de Cristo em nós. A unificação do desejo dos homens com o desejo de Deus é o momento portentoso da libertação deste mundo; essa unificação é uma realidade permanente nos mundos de luz, ou seja, nos planos espirituais, mas deve ocorrer também no mundo das formas, para que possamos nos adentrar no Reino.

Ninguém é mais amoroso e mais sábio do que nosso Pai-Mãe celestial, portanto pedimos que nos seja concedido aquilo que Ele-Ela sabe que realmente precisamos, tanto em alimento material como em alimento para a alma, a compreensão da Verdade. O conhecimento da verdade é a dádiva celestial que nos possibilita desfazer os laços dos erros que nos prendem a este mundo. A raiz de todos os erros é a ignorância de nossa natureza divina e da operação das leis de Deus: o conhecimento da verdade desfaz os laços da ignorância. Mas para que isso ocorra, devemos, de nossa parte, relevar o comportamento de nossos irmãos que ainda cometem erros por ignorância. Ao perdoarmos de coração a todos os que nos ofenderam ou prejudicaram estaremos desfazendo os elos cármicos que nos prendem aos nossos inimigos, ou aos nossos devedores.

Quantas vezes nos deixamos iludir pelas aparências ao darmos atenção excessiva em nossa vida diária à natureza superficial das coisas. Ó Pai-Mãe celestial, conceda-nos a visão da realidade das coisas para que possamos nos libertar das ilusões que nos aprisionam.

Ó Pai-Mãe celestial, conceda-nos a Graça de vivermos permanentemente na Tua divina lembrança, jamais nos esquecendo que Tu és a Fonte de tudo o que existe. As leis que governam os mundos materiais e espirituais são expressões de Tua vontade. Ó Alento da Vida, Tu és o poder e a força viva de todo movimento, desde os mundos cósmicos aos mundos atômicos, passando por todas expressões da natureza em nossa Terra. Tu és também, ó Divino Músico, o compositor da música das esferas que a tudo embeleza com harmonia melodiosa, e que ao ritmo de Teus acordes renovas de idade em idade todas as coisas em Teu universo sem fim. Que assim seja para todo o sempre.

Vide: Neil Douglas-Klotz, Orações do Cosmo (Triom, Libraria Editora e Abwoon Studies), pg. 15-18.