SUS vai oferecer ioga, meditação e outras 12 terapias


Ministério da Saúde publicou portaria incluindo 14 atividades que vão compor a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares

Fonte exame.abril

 


 

10 posturas de Yoga para reduzir a ansiedade


Young woman doing yoga exercise on beach near the sea at sunset in summer face is not visible

 

Se você se encaixa no perfil de pessoas ansiosas, a yoga pode resolver seu problema. A prática pode ser associada a uma limpeza do corpo e da mente, eliminando as tensões e auxiliando no combate do estresse e da ansiedade.

De acordo com os dados do World Health Mental Survey,  cerca de 30% da população de grandes metrópoles tem ou já tiveram crises de ansiedade no último ano.

Já que você não pode desacelerar o ritmo das grandes cidades, muito menos mudar o mundo, o ideal é começar de dentro pra fora. Mude a si mesmo e depois a maneira com que encara as coisas mudarão automaticamente. A prática da yoga te ajudará a encontra a paz interior e dará mais energia, além de trazer uma maior clareza mental.

Para isso, experimente as 10 posturas para te ajudar a aliviar a ansiedade.

  • Postura da Cegonha (Padahastasana)

Sporty fit woman practices yoga asana Padahastasana - standing forward bend with hand under feet

Como fazer: fique de pé e mantenha os pés e calcanhares juntos. Deixe as mãos descansando nos lados respectivos do corpo e deixe a coluna reta. Inale profundamente e levante as mãos. Expirando lentamente, dobre o corpo para frente. Deixe o pescoço solto e fixe o olhar em seu umbigo. As palmas das mãos devem descansar no chão.

– Durante 10 respirações profundas, mantenha essa posição.

Benefícios: ajuda na digestão e em problemas gástricos; melhora o fluxo sanguíneo para o cérebro; alonga pernas e coluna; além de reduzir a tensão nas costas, no pescoço e nos ombros.

  • Postura do Triângulo Estendido (Utthita Trikonasana)

Como fazer: afaste as pernas aproximadamente em 5 palmos. Para que o peso do corpo esteja bem distribuído, o pé esquerdo deve estar virado para fora, formando um ângulo de 45º em relação ao direito. Levante os braços na altura dos ombros e, com uma flexão lateral, segure a perna direita próximo à canela. Já o braço esquerdo deve ficar elevado, no sentido do teto. Olhe para a mão que está acima.

– Durante 5 a 8 respirações profundas, mantenha essa posição. Depois alterne.

Benefícios: é indicado para problemas de hipertensão e taquicardia; acalma o sistema nervoso; aumenta a flexibilidade; fortalece os músculos; alonga a coluna e diminui as dores lombares.

  • Postura do Cachorro Olhando Para Baixo (Adhomukha Svanasana)

Como fazer: fique em pé. Inspire profundamente e dobre o corpo para frente, colocando as mãos no chão, posicionando-as na mesma largura dos ombros. É importante manter a coluna ereta. Estique as pernas e coloque uma de cada vez para trás, não dobre os cotovelos e joelhos. É importante inalar profundamente e manter o abdômen contraído. Os olhos devem estar fixados no chão.

– Durante 15 respirações profundas, mantenha essa posição.

Benefícios: desenvolve a flexibilidade das articulações; alonga os músculos da perna e toda a extensão da coluna.

  • Postura Metade do Arco (Ardha Chakrasana)

Como fazer: deixe os pés juntos, as mãos devem estar ao lado da cintura com os polegares apontados em direção a coluna. Inspire profundamente e levante os quadris, o máximo que você conseguir. Para descer para a posição inicial, expire profundamente e inale.

– Durante 10 respirações profundas e lentas, mantenha essa posição.

Benefícios: expande a caixa torácica; proporciona flexibilidade aos músculos; auxilia na regularização hormonal; além de proporcionar mais energia e estímulo ao sistema nervoso.

  •  Postura Reclinada em ângulo fechado (Baddha Konasana)

Como fazer: sente-se e, ao invés de cruzar as pernas, junte os pés e relaxe. Mantenha o tronco erguido e deixe a coluna e cabeça alinhada.

Benefícios: aumenta a flexibilidade na região da virilha; ajuda com as tensões dos ombros; tonifica o interior das coxas e dos joelhos, além de recompor as energias.

  • Postura da Pinça (Paschimottanasana)

Como fazer: sente-se, alongue as pernas, mantendo ambas unidas. Coloque os braços para frente e incline lentamente o tronco de encontro com as pernas. Ao terminar, gire o ombro para trás e por último eleve a cabeça como se fosse se sentar corretamente.

– Durante 10 respirações profundas, mantenha essa posição.

Benefícios: neste caso, a autoconfiança, o autodomínio, a leveza e a humildade são despertadas; auxilia na limpeza dos órgãos internos como fígado, baço, pulmões e rins.

  • Postura da Criança (Balasana)

Como fazer: sente-se sobre os calcanhares, como se fosse ajoelhar no chão. Incline-se para frente, mantendo os pés juntos, e abaixe o tronco. Os braços podem ser esticados para frente ou para trás, do jeito que você preferir.

Benefícios: ajuda a acalmar o sistema nervoso; relaxar o pescoço, as costas e os ombros.

  • Postura de Torção da Coluna Sentado (Ardha Matsyendrasana),

Beautiful sporty fit yogini woman practices yoga asana ardha matsyendrasana - half spinal twist pose isolated on white background

Como fazer: sente-se e estenda a perna direita, flexione a perna esquerda e passe sobre a direita que está estendida. A mão direita deve estar posicionada em cima do joelho esquerdo. A mão esquerda deve estar atrás de você, próxima ao quadril e alinhada com a coluna. Seu olhar deve estar fixado para trás do seu ombro esquerdo. A palma da mão, completamente apoiada no chão e o joelho pode ser usado como alavanca para reforçar a torção.

– Durante 10 respirações profundas, mantenha essa posição. Depois execute o mesmo processo para o outro lado.

Benefícios: alivia tensões na coluna; fortalece os músculos das costas e do abdômen; auxilia nas dores dos ombros e também é indicada em casos de prisão de ventre.

  • Postura Fácil (Sukhasana)

Como fazer: sente-se sobre uma toalha dobrada. Cruze as pernas, coloque as mãos nos joelhos e alongue bem a coluna. Foque em sua respiração.

– Durante 5 ou 10 minutos, mantenha essa posição.

Benefícios: corrige a postura e elimina a ansiedade tanto física quanto psicológica. Ótima postura para introduzir a meditação.

  • Postura do cadáver (Savasana)

Beautiful sporty fit yogini woman relaxes in yoga asana Savasana - corpse pose in studioComo fazer: deite-se num local espaçoso e deixe os braços e pernas soltos num ângulo de 45°. Sua atenção deve seguir essa ordem: dedos dos pés, pernas, quadril, coluna, barriga, braços, ombros, pescoço, testa, olhos, língua e mandíbula. Por fim, concentre-se em sua respiração.

– Durante 5 a 10 minutos, mantenha essa posição. Para finalizar, levante-se devagar.

Benefícios: desacelera a respiração e contribui para a diminuição da pressão arterial.

 

fonte eusemfronteiras

 


 

Krishna e Radha, amor transcendental

Krishna é a oitava manifestação de Vishnu (o deus da preservação da suprema trindade hindu, ao lado de Shiva e Brahma). Seu nome significa “escuro”, graças à sua pele de tom azulado. É representado por um jovem formoso, de corpo forte e cabelos anelados. É a divindade que conta com o maior número de adeptos na Índia e em todo o mundo, ao lado de Jesus e Buda.

Conforme as lendas, o objetivo desse avatar era triplo: destruir as personificações da ignorância que estavam ameaçando o equilíbrio do cosmo (Asuras); tornar-se o centro de desenvolvimento de determinadas escolas devocionais (Bhakti); assumir papel de liderança na grande guerra ocorrida entre os clãs Aryas dos Pandavas e dos Kauravas (o épico descrito no grande livro “Mahabharata”), em que ele também entregaria sua mensagem filosófica por meio do texto conhecido como “Bhagavad Gita” (Sublime Canção).

No mito de Krishna, encontramos elementos que caracterizam as qualidades de três das principais divisões sociais da tradição hindu (sistema de castas): Krishna é um homem dos campos, que guarda os rebanhos (casta Vaishya); é também um nobre guerreiro e dá morte a inúmeros demônios (casta Kshatrya); e adota o papel de um sábio, quando transmite os ensinamentos filosóficos (“Bhagavad Gita”) para o primo Arjuna (casta Brahmane).

 

krishna-e-radha-amor-transcendental-vishnu-lakishmi-deus-hindu-india-mantra-govinda-nosso-blog.jpg

 

O MITO DE KRISHNA

Krishna nasceu na cidade de Mathura. Sua mãe, Devaki, era irmã do rei Kamsa, que condenou à morte todos os filhos que Devaki desse à luz, pois existia uma predição segundo a qual um deles haveria de assassiná-lo. Krishna continuou vivendo graças à estratégia de seus pais que, para tirá-lo da fúria do rei, trocaram-no pela filha de um modesto pastor. Ele passou seus primeiros anos junto com o irmão, Balarama, entre pastores.

Poucos anos depois de nascer, dando mostras de seu extremo vigor e malícia, Krishna começou suas proezas, como a de tombar carruagens, arrancar, de molecagem, duas árvores de um só vez, lutar vitoriosamente contra uma enorme serpente e ajudar a seu irmão Balarama a aniquilar um terrível demônio.

Krishna ia crescendo pouco a pouco e transformando-se em adolescente. Num dia, em que as pastoras foram banhar-se no rio Yamuna, acercou-se cautelosamente do lugar e roubou todos os vestidos, colocando-os em uma árvore próxima ao lago. Quando as pastoras saíram da água e buscaram suas roupas em vão, empenharam-se a lamentar, sem saber que decisão tomar. Mas quando viram Krishna na copa de uma árvore contemplando-as e rindo, arrojaram-se novamente no rio e, dali, pediram que ele se apiedasse delas. Krishna não aceitou levar-lhes a roupa, e sim que fossem buscar, uma a uma, com as mãos juntas, em atitude de súplica.

Esse episódio é somente uma introdução a muitos outros parecidos. As esposas e filhas dos pastores, livrando-se de sua reserva e modéstia habituais, abandonavam seus lares e ocupações para seguir Krishna ao bosque tão logo ouvissem os sons de sua flauta. Nessas ocasiões, ele dirigia-lhes amáveis reprovações, mescladas com advertências de que só por meio da meditação nele obteriam a salvação. Eram tantas as pastoras que se enamoravam de Krishna que ele não podia dar-lhes as mãos quando dançava com elas. Então, o deus multiplicava-se em cópias precisas e cada bailarina sentia a ilusão de ter, entre suas mãos, o deus Krishna. Quaisquer que fossem as formas que adorassem, Krishna as faria livres. Algumas o conheceram e o buscaram como filho ou como amigo, outras, como amante e alguns, como inimigos, mas não se sabe de ninguém que deixou de alcançar suas bênçãos e o benefício da libertação.

 

krishna-e-radha-amor-transcendental-vishnu-lakishmi-deus-hindu-india-mantra-rasa-lila-nosso-blog.jpg

 

Ao chegar à idade adulta, Krishna morreu acidentalmente. Estava entregue à meditação, sentado em um bosque com as pernas cruzadas, que deixavam as plantas dos pés descobertas (sabido era, tempos atrás, que o sábio Durvasa tinha o amaldiçoado em um acesso de cólera, profetizando que morreria de uma ferida no pé), quando um caçador, tomando-o por um gamo, disparou uma flecha, que se cravou em um único ponto vulnerável: o calcanhar do pé esquerdo. Muito apavorado ficou o caçador ao dar-se conta do erro cometido, mas Krishna acalmou-o dizendo que não temesse nada e que não se deixasse levar por sua dor. Essas foram as últimas palavras de consolo que pronunciou sobre a Terra. Logo, no esplendor de sua glória, subiu aos céus, onde os deuses o acolheram; contudo, as trevas caíram sobre a Terra.

Nas façanhas de sua vida, Krishna transgrediu inúmeras convenções e regras morais estabelecidas pela sociedade Brahmane: apaixonou-se pela bela Rukmini, que já estava prometida em casamento para um príncipe de uma importante família. Krishna não admitiu esse contrato e, no dia do casamento, sequestrou a jovem, matando o noivo e o irmão dela. Krishna casou-se com Rukmini e, ao longo da vida, eles tiveram onze filhos.

As transgressões desse episódio da vida de Krishna (o rapto da noiva, a grave ofensa feita a uma família, a morte do noivo e do irmão da noiva, que tentavam salvar sua honra e fazer cumprir a lei) encarnam um período em que as contestações sociais estavam sendo incentivadas pela filosofia especulativa e comportamental do Tantra (século XII).

Outra atitude pouco comum de Krishna é o fato de ter oficialmente elegido, entre as pastoras (Gopis), uma amante. Esta, esposa de um humilde camponês, chamava-se Radha. Krishna e sua amante viveram juntos momentos de intensa paixão, carregados de erotismo. Descrevendo esse romance, surgiu um livro conhecido como “Gita Govinda”, de autoria do sábio Jayadeva.

 

krishna-e-radha-amor-transcendental-vishnu-lakishmi-deus-hindu-india-mantra-imagem-nosso-blog.jpg

 

A SIMBOLOGIA DE RADHA

Radha é representada principalmente como uma subordinação pessoal voluntária ao seu amado Krishna: sua personalidade dissolvendo-se nele. Com os olhos fechados, a deusa segue-o para onde ele a leva, confiando completamente e abrindo mão do seu ego. Esta é a metáfora divina de um devoto que se funde com seu deus. Por extensão, também simboliza um ser amado que se funde com o seu amor.

Em algumas representações, a relação de Radha e Krishna é recíproca e expressa um amor totalmente maduro, no qual a confiança e o respeito um pelo outro profundos que o desrespeito é inimaginável. Essas imagens sugerem que, quando duas pessoas se amam, ocorre uma mistura de mentes e corpos, os egos são abandonados, e aquele que ama e o ser amado ocupam posições iguais, o que não somente sublima as emoções sexuais como também fornece um apoio divino para as paixões internas.

A natureza divina de Radha está na exaltação e transfiguração de algumas das emoções humanas mais básicas e arquetípicas. Duas de suas características: mahabhava (grande sentimento) e premabhakti (devoção do amor desinteressado) apontam para a intensidade e a pureza do seu amor, emprestando-lhe uma qualidade metafísica. Os devotos de Radha, tipicamente, não se relacionam com ela pedindo-lhes favores terrenos, mas absorvendo-se no desdobramento da história minuciosamente detalhada do seu amor por Krishna.

 

krishna-e-radha-amor-transcendental-vishnu-lakishmi-deus-hindu-india-mantras-nosso-blog.jpg

 

 

MANTRAS RELACIONADOS À ENERGIA DIVINA DE KRISHNA

 

Om Hrisi Keshaya Namah

Mantra de Krishna para a felicidade e que pode ser entoado, também, para despertar todos os nossos potenciais.

 

Om Govindaya Namah

Govinda é o chefe dos pastores e este mantra é uma alusão ao mestre Krishna, o pastor dos espíritos, entoado por aqueles que buscam orientação mística interior.

 

Om Madhusudanaya Namah

O mantra que homenageia Krishna, o matador de demônios, deve ser entoado para proteger-nos de inimigos.

 

Om Namo Bhagawate Vasudevaya

Este é o mantra de proteção que invoca Vasudeva, o pai de Krishna.

 

Om Sri Krishnaya Govindaya Vallabrava Swaha

A repetição deste mantra sagrado aumente sensivelmente nosso poder de cura energética.

MANTRAS PARA RADHA RELACIONADOS AO AMOR

 

Om Radha Krishnaya Namaha

Mantra para construir um amor conjugal elevado no plano terrestre, onde o cuidado e a intimidade podem ser grandemente intensificados. Esse mantra também funciona poderosamente em relacionamentos onde há um compromisso genuíno entre as duas pessoas, mas também pode ser utilizado por qualquer dos cônjuges de um casamento para o melhoramento gradual, mas seguro, do relacionamento como um todo.

 

Om Parama Prema Rupaya Namaha

Mantra para trazer à sua vida a mais elevada expressão possível do amor. Se esse amor possuir alguma implicação de caráter sexual, a importância, no caso, desse incidente, é o amor que proveio dele, um amor que durou um longo tempo mesmo depois que o aspecto sexual já tenha terminado. Nós também podemos ingressar num relacionamento em que a parte sexual, por alguma razão ou outra, chega ao fim. Mas isso não precisa ser o fim do nosso amor. Esse mantra também pode trazer uma visão do êxtase divino através do bem-amado.

 

Aham Prema

Mantra para se tornar a forma mais elevada de amor que você pode ser. Com esse mantra simples, você afirma a sua própria natureza essencial como uma natureza de amor divino. A vibração desse mantra começa o processo de transformação de todo o seu corpo, ser, natureza e espírito numa emanação, a sua própria emanação particular, do amor divino.

Fonte comprazen


Aproveite e desfrute evento especial, em um lugar especial para falar de amor, cuidar e tratar os relacionamentos.

 

Curando os Laços Afetivos


Curando os Laços Afetivos

Muitas vezes nos perguntamos porque não damos certo em nossos relacionamentos, e não enxergamos as respostas. Aqui você pode descobrir e ter a oportunidade de ressignificar a sua vida, através da vivência com a constelação familiar, terá a oportunidade de tratar questões pessoais e dar um novo olhar.
– Tenha um dia para olhar e cuidar dos nossos laços afetivos com a visão da constelação familiar sistêmica, vivenciando e ampliando a consciência de forma profunda e curadora. Desvendando o padrão de comportamento que sabota a vida pessoal, dessa forma, ressignificando e transformando todas as áreas da vida.
Indicado especialmente:
– Pessoas com dificuldade de relacionamento amoroso.
– Casamentos em crise.
– Dificuldade em ter um companheiro.
– Relacionamentos abusivos.
– Harmonizar as relações.
– Dificuldade de entrega.
– Conflitos familiares.
– conflito de pais e filhos.
Se sentiu chamado? Venha!

Continuar lendo Curando os Laços Afetivos

FOTÓGRAFA RETRATA MOVIMENTOS DA YOGA INSPIRADOS EM ANIMAIS DE UMA MANEIRA SUPER ORIGINAL

A inspiração nos movimentos dos animais, traz a yoga a capacidade de relaxar na pratica da meditação. Dessa forma, conduz ao alivio de stress e favorece a concentração.

Pensando no movimento corporal de vários bichos, a fotógrafa Moriya Neva de Tel Aviv, Israel, registrou uma série de Yoga que tem como base o comportamento desses animais.